Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

-15%

E-Investidor: como a queda do PIB afeta o mercado financeiro

Auxílio emergencial: quem tenta solicitar os R$ 600 enfrenta problemas no site e no aplicativo

Sistema informa situações diferentes de análise, usuários que estão com status de “Contestação em análise” sem terem enviado novos documentos e mães solteiras que não conseguem o benefício no valor em dobro são alguns dos erros relatados

Diego Kerber, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2020 | 12h00
Atualizado 24 de abril de 2020 | 08h54

SÃO PAULO - Duas semanas depois do início das solicitações do auxílio emergencial de R$ 600 para enfrentar a crise provocada pelo coronavírus,  usuários do site e do aplicativo da Caixa estão reclamando de diversos erros no sistema.

Entre os problemas relatados estão informações desencontradas entre o site e o aplicativo do benefício, usuários com status “Contestação em análise”sem nem enviarem novos documentos e mães solteiras que não conseguem solicitar o benefício em dobro por dados inconclusivos.

O Estado entrou em contato com a Caixa Econômica para entender o que pode ter acontecido em cada um dos casos e o que o solicitante pode fazer para resolver o problema.

Por que meu pedido de auxílio emergencial foi negado?

Segundo a Caixa, só receberão o auxílio emergencial os solicitantes que se encaixarem nos critérios estabelecidos pela lei 13.982/2020. Os critérios definem que o solicitante, seja ele desempregado, trabalhador informal ou MEI (Microempreendedor Individual), deve:

  • ser maior de 18 anos
  • não ter emprego formal ativo
  • não receber benefício previdenciário ou assistencial ou seguro-desemprego, com exceção do Bolsa Família
  • ter renda familiar per capita de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar total de até três salários mínimos (R$ 3.135)
  • não ter recebido, em 2018, renda total superior a R$ 28.559,70
  • O benefício é limitado a duas pessoas por família

Os dados coletados pelo aplicativo ou site onde é feito o cadastro são enviados para a Dataprev, que verifica se o solicitante se encaixa nos critérios e informa de volta para o banco. É também a Dataprev a responsável por indicar quem não é elegível para o auxílio e por que não é.

Então, se seus dados não estiverem dentro desses critérios, você está inelegível para receber o benefício. Caso não concorde com a análise da Dataprev, você pode fazer uma contestação no próprio aplicativo do auxílio e fazer uma nova solicitação.

Meu status está como ‘Contestação em análise’. O que é isso?

O status de “Contestação em análise” aparece quando você teve sua primeira solicitação negada e pediu uma segunda análise, ou seja, pediu a contestação do resultado anterior. De acordo com a Caixa, essa é uma nova funcionalidade adicionada ao aplicativo CAIXA | Auxílio Emergencial. O banco ainda afirma que não identificou casos de status de "Contestação em análise" sem que o usuário tenha feito o pedido de contestação.

Caso o solicitante tenha o auxílio negado pelo Cadastro Único, pode fazer a segunda solicitação pelo próprio aplicativo ou site do auxílio.

Por que meu status de análise está diferente entre o aplicativo e o site?

Segundo a Caixa, a diferença de informações entre o site e o aplicativo pode acontecer em momentos de atualização dos dados. O banco alega que, por ser uma base de dados de grande volume  e haver muitas instâncias de servidores das soluções, esse erro pode aparecer durante essas atualizações. No entando, essa divergência de informações é corrigida em pouco tempo.

Meu resultado diz ‘Dados inconclusivos’. O que eu faço?

A Caixa informou que vai liberar a consulta do resultado de análise ainda nesta semana quando receber a relação de brasileiros reprovados para o auxílio emergencial. Caso seu resultado de análise for “Dados inconclusivos”, você pode fazer uma nova solicitação do benefício.

Segundo a Caixa, há alguns motivos para o resultado da análise ser inconclusiva. São eles:

  • marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro
  • falta de inserção da informação de sexo (masculino ou feminino)
  • preenchimento incorreto de dados de um membro da família, tais como CPF e data de nascimento, por exemplo
  • divergência de cadastramento entre membros da mesma família
  • inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito

A Caixa recomenda que, apesar de o cadastro ser individual, a família esteja reunida para informar os dados de cada membro corretamente em todos os cadastros.

Quanto tempo demora para eu receber o resultado da análise do meu auxílio emergencial?

Segundo a Caixa, o tempo necessário para análise varia caso os dados inseridos no cadastro estejam corretos ou não. Isso porque as informações enviadas para a Dataprev são comparadas com outras bases de dados do governo, como a Receita Federal, Ministério da Economia, Ministério da Cidadania, entre outros. Esse cruzamento de informações é importante para garantir que o solicitante atenda a todos os requisitos para ter direito ao benefício. Então quanto mais precisas as informações, mais rápida será a análise.

O problema é quando as informações divergem entre as diferentes bases de dados. Nesse caso, é preciso uma análise mais detalhada, que não tem uma estimativa de tempo precisa. A Caixa também afirma que muitos solicitantes não estão preenchendo corretamente informações sobre o grupo familiar, remunerações, situações de carteira de trabalho assinada, entre outras. Isso gera uma lentidão maior na análise.

Caso todos os dados inseridos estejam corretos, o tempo médio para resposta do resultado da análise é de dois a quatro dias. Já quando a análise é concluída e o benefício, aprovado, a liberação do crédito é feita pela Caixa de acordo com o cronograma divulgado e o depósito em conta ocorre de um dia para o outro.

O que devo fazer se eu tiver um problema no meu cadastro ou no aplicativo/site?

Os únicos meios de atualização do cadastro são o site e o aplicativo do auxílio emergencial. O número 111 é apenas para esclarecimento de dúvidas e informações sobre o status da solicitação. Caso o usuário tenha algum problema que leve a dados inconclusivos ou a benefício não aprovado, ele deverá fazer um novo cadastro no caso de dados inconclusivos ou contestar o resultado da análise no caso de reprovação do auxílio.

A Caixa informa que 45 milhões de pessoas já foram cadastradas com sucesso e que o site e o aplicativo recebem um grande volume de acessos simultâneos, que chega a ultrapassar a marca de 1 milhão. Por isso, o banco afirma que está trabalhando para ampliar a capacidade de atendimento de modo a garantir acesso a todos os brasileiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.