finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Avaliação sobre distribuidoras de energia piora; tarifa subirá menos

Uma pesquisa divulgada hoje pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), realizada no ano passado, mostra queda no índice de satisfação dos consumidores em relação aos serviços prestados pelas distribuidoras de energia elétrica. Em uma escala de 0 a 100, a média nacional de satisfação ficou em 58,88, bem abaixo dos índices medidos nos anos anteriores, que estavam entre 63 e 64.O diretor geral da Aneel, Jerson Kelman, atribuiu a queda no índice de satisfação à elevação do nível de exigência dos consumidores. "Os consumidores não estão avaliando apenas o fornecimento de energia, mas levando em consideração também a qualidade do atendimento", afirmou.A queda no índice deverá resultar em reajustes menores de tarifas. O desempenho das distribuidoras nessa pesquisa é levado em conta no cálculo do aumento da conta de luz. O índice de satisfação do consumidor é um dos itens do redutor, conhecido como Fator X, que é utilizado para reduzir a correção do IGPM, aplicado em parte da tarifa.Este índice médio de satisfação de 58,88 permitirá uma redução de 0,8 ponto porcentual no IGPM. Portanto, considerando um IGPM de 7%, apenas 6,2% seriam repassados para a tarifa.De acordo com cálculos da Aneel, com base no resultado das pesquisas, a Eletropaulo, distribuidora que atende à região metropolitana de São Paulo, terá uma redução 0,9 ponto porcentual na correção do IGPM no próximo reajuste, previsto para julho de 2006. Já a Cemig, de Minas Gerais, terá redução de 0,65 ponto porcentual e a Light, do Rio de Janeiro, de 0,78.No próximo reajuste anual, segundo a Aneel, 14 distribuidoras, de um total de 64, terão o desconto máximo de 1 ponto porcentual no índice de correção como resultado do baixo desempenho apresentado na pesquisa.Prejuízo para distribuidorasO presidente da Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee), Luiz Carlos Guimarães, disse que as distribuidoras terão neste ano prejuízo de R$ 170 milhões por causa da queda nos índices da pesquisa de satisfação do consumidor.A Abradee é contra a utilização do índice de satisfação no cálculo das tarifas e questiona o resultado da pesquisa da Aneel porque os dados são divergentes de outra pesquisa, realizada pela própria associação, que aponta melhora de desempenho em 2004, se comparado a 2003, subindo de 66 para 77. "Quando essas pesquisas são sistematicamente realizadas, não faz sentido uma queda tão acentuada de um ano para outro", disse Guimarães. Melhor nota vai para CemigA distribuidora de energia que teve a melhor avaliação de seus clientes no ano passado, com nota de 72,65, foi a Centrais Elétricas Carazinho, que atende menos de 30 mil unidades consumidoras de energia, no Rio Grande do Sul. Já a Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre) foi a que apresentou o pior desempenho, com 39,66.Entre as grandes distribuidoras de energia, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) obteve a melhor nota, com 60,92. As distribuidoras que atendem o Estado de São Paulo acompanharam a queda apresentada nos índices nacionais. Todas tiveram uma avaliação pior em 2004 se comparada aos anos anteriores.Atendimento é maior reclamaçãoA maior reclamação dos consumidores é quanto ao atendimento ao cliente. Com base nesta queixa, verificada também nas pesquisas anteriores, a Aneel baixou em janeiro deste ano uma resolução, estabelecendo metas de qualidade no atendimento das empresas pelo telefone (call center).No caso nas maiores distribuidoras do Estado de São Paulo, houve queda na avaliação de todas elas no ano passado em relação a 2003. A nota da Eletropaulo caiu de 60,01 para 57,33, da Bandeirantes passou de 68,82 para 56,63, da Elektro caiu de 66,33 para 57,91 e da CPFL de 69,35 para 59,69.A pesquisa foi realizada entre os dias 6 de dezembro de 2004 e 17 de janeiro deste ano. Foram ouvidos 19.289 consumidores das 64 distribuidoras em 469 municípios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.