Avião da Varig perde parte do trem de pouso em Brasília

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou hoje, por volta das 12 horas, que um avião da Varig perdeu parte do trem de pouso, no momento em que descia no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, de Brasília. Trata-se da aeronave MD-11, vôo 2204, que tinha 108 passageiros, e partiu do Rio de Janeiro para Manaus, com escala em Brasília.A assessoria da Anac a informou ainda que a falha técnica ocorreu em um dos três trens de pouso da aeronave. Os outros dois equipamentos estavam funcionando normalmente, o que permitiu a finalização do pouso do avião. O incidente, porém, provocou o fechamento da pista de pouso por cerca de uma hora, atrasos e remanejamento de outros oito vôos que deveriam partir e chegar em Brasília.Já a Varig tentou minimizar o incidente. Por meio de sua Assessoria de Imprensa, a empresa informou que nem os passageiros, nem a tripulação, perceberam o problema. O avião pousaria em Brasília e seguiria para Manaus. Com o incidente, os passageiros serão colocados em outros vôos da Varig e de outras companhias áreas. A Varig irá divulgar uma nota ainda hoje.Vôos da Varig continuam sendo canceladosVinte e sete vôos da companhia aérea Varig foram cancelados na manhã desta sexta-feira, sendo a maioria no Rio de Janeiro. No aeroporto Santos Dumont, três vôos foram cancelados e vinte não saíram do aeroporto Tom Jobim. Em São Paulo, quatro vôos foram cancelados. A assessoria da empresa não confirma os cancelamentos. De acordo com a central da Varig no aeroporto de Congonhas, os vôos estão decolando no horário, sem cancelamentos ou atrasos.Ontem, treze vôos da Varig foram cancelados nos aeroportos do Rio de Janeiro. Dos 13 vôos cancelados, cinco eram da ponte aérea Rio-São Paulo, com saídas do Aeroporto Santos Dumont, e oito do Aeroporto Internacional Tom Jobim. Apesar do cancelamento dos vôos, não foi registrado nenhum tipo de tumulto entre as pessoas que tinham passagens marcadas. Com os números de hoje, mais de 100 vôos já foram cancelados desde sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.