Avião ecológico da Airbus é mais econômico e faz menos barulho

Feita de fibra de carbono e plásticos especiais, aeronave nem será ouvida por vizinhos de aeroportos, diz a empresa

Reuters,

14 de junho de 2013 | 19h38

 

TOULOUSE - O mais novo modelo de avião de passageiros da Europa, o Airbus A-350, fez seu primeiro voo nesta sexta-feira, 14. O novo avião da Airbus é mais leve, graças à utilização de fibra de carbono reforçada com plástico, e muito mais silensioso que os demais do mesmo tamanho.

Apesar de mais caro que as demais aeronaves, com preço de cerca de US$ 300 milhões ((R$ 642 milhões), o interesse comercial do A-350 está na economia de combustível de cerca de 25% em comparação aos concorrentes.

As companhias aeroespaciais enfrentam grande pressão para reduzir as emissões e o ruído para cumprir regulamentações cada vez mais restritas no mercado global.

A Airbus disse que o A-350 está até 16 decibéis abaixo das exigências internacionais. A Boeing indicou, por sua vez, que o seu modelo concorrente, o 787, tem o menor ruído entre os grandes aviões até o momento.

Segundo a Airbus, o seu novo avião é tão silencioso que as pessoas que vivem perto de aeroportos não vão ouvi-lo decolar ou pousar.

A declaração da empresa foi a primeira cutucada na rival americana Boeing, e marca uma nova etapa na disputa pelo mercado mundial de aeronaves.

O A-350 sobrevoou a fábrica da empresa em Toulouse para saudar os trabalhadores antes de concluir uma viagem inaugural de quatro horas. A empresa disse que o teste superou todas as expectativas.

Observado por mais de 10 mil pessoas, entre empregados, convidados e moradores das redondezas, o avião atravessou as nuvens por cima da fábrica no sudeste da França e voou sobre a cordilheira dos Pirineus.

O voo culmina um esfoço de oito anos de desenhos e desenvolvimento do projeto com um custo de US$ 15 bilhões.

O chefe de vendas da Airbus, John Leahy, entusiasmado com o voo inaugural, destacou os benefícios da aeronave logo que os motores Roll-Royce impulsionaram o A-350 pela mesma pista que o supersônico Concorde usou para decolar pela primeira vez há 44 anos.

"Ouviram o silêncio do avião? Vamos estabelecer novos patamares, e os moradores das proximidades dos aeroportos nem vão ouvir o barolho das decolagens", afirmou.

O lançamento do novo modelo é um marco para a EADS (European Aeronautic Defence and Space Company), grupo criado no ano 2000 com a fusão das empresas DaimlerChrysler Aerospace AG (DASA) da Alemanha, Aérospatiale-Matra da França e Construcciones Aeronáuticas S.A. (CASA) da Espanha. A empresa é a líder no mercado de aviação e espaço.

O grupo se esforça para alcançar o rival 787 da Boeing em vendas em uma geração de aviões de peso mais leve desenhados para economizar combustíveis e causar menos danos ao meio ambientes.

A Boeing foi a primeira a cruzar a linha com o uso de materiais revolucionários para a indústria como o carbono, e o seu modelo Dreamliner 787 até o momento supera o A-350 em vendas. Foram vendidas 833 aeronaves para 57 clientes.

Com vendas de 613 aviões a 33 clientes, a Airbus espera Alcançar e também desafiar o avião de metal de maior tamanho, o 777, do fabricante americano, em parte graças ao seu baixo ruído.

Na semana que vem o A-350 deve fazer um novo voo quando o presidente da França, Francois Hollande, durante uma feira de aviação.

A Aibus está finalizando pedidos da Singapura Airlines, Kuwait Airways e Air France e espera confirmar novos clientes em breve.

A Boeing espera um mercado avaliado em US$ 1 bilhão para a categoria de aviões de tamanho médio para transporte de passageiros em trajetos longos nos próximos 20 anos, e o A-350 e o 787 estão competindo pela maior fatia do mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.