Avon prevê crescimento de 15% a 20% no Brasil

A executiva-chefe da Avon Products Inc., Andrea Jung, reafirmou as estimativas de lucro de entre US$ 0,37 e US$ 2,30 por ação no primeiro trimestre de 2002 e disse que os principais negócios da empresa "nunca estiveram tão fortes".Enquanto participava de uma reunião períodica de atualização para os investidores, na sede do grupo nos EUA, Jung também reiterou a perspectiva da Avon para o ano. A executiva previu aumento de 2% a 3% nas vendas do primeiro trimestre, crescimento mundial "sólido" e um "crescimento contínuo e forte" nos EUA de 6% a 7%. Os EUA são o maior mercado da Avon.Comentando a América Latina, Jung disse que o mercado da Argentina, apesar da crise, está dando sinais de melhora. Já em relação ao Brasil, que representa o terceiro maior mercado da empresa de cosméticos, Jung projetou crescimento entre 15% e 20% nas vendas em moeda local no primeiro trimestre do ano.Para 2002, Jung afirmou que a expectativa é de crescimento de 4% a 6% nas vendas, 8% a 10% no lucro operacional e uma melhora de 50 pontos-base na margem operacional. Um lucro de US$ 2,30 por ação representaria um aumento de 10% em comparação com 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.