Azaléia demite funcionários em SE e governador quer solução

A Azaléia Calçados demitiu 25 funcionários das suas unidades no interior de Sergipe. Foram 17 demissões em Carira e oito em Ribeirópolis. As primeiras demissões ocorreram no final de novembro do ano passado, quando 234 funcionários foram desligados da unidade que fica em Itaporanga D´Ajuda. Nesta terça-feira, o secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Jorge Santana, disse que, atendendo a uma orientação do governador Marcelo Déda (PT), procurou a direção da empresa para tentar buscar uma solução a fim de evitar que haja mais demissões.Por enquanto, o secretário Jorge Santana não teve um retorno da direção da empresa em Sergipe para que a reunião seja agendada com o governador Marcelo Déda. "Queremos discutir as razões das demissões e buscar algum tipo de solução pra evitar novos desligamentos. Desejamos também uma colocação para estas pessoas que ficaram desempregadas", disse o secretário, explicando que é necessário conhecer os problemas que levaram a Azaléia a demitir seus servidores.A Azaléia instalou-se em Sergipe em 1986 no Distrito Industrial de Aracaju (DIA). Três anos depois, fechou a unidade da capital e instalou-se em Itaporanga. Em 2005, implantou quatro fábricas em Lagarto, Ribeirópolis, Carira e Frei Paulo, onde vinha mantendo a sede. A produção diária da fábrica, até meados do ano passado, era de 40 mil pares nas cinco unidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.