Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Azul define suas primeiras rotas de vôo

Empresa vai voar de Viracopos, em Campinas, para Porto Alegre, Salvador, Vitória e Curitiba

Mariana Barbosa, O Estadao de S.Paulo

18 de novembro de 2008 | 00h00

A companhia aérea Azul escolheu o aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas (SP), como base inicial de suas operações. A empresa pretende realizar vôos diretos do aeroporto para Porto Alegre, Salvador, Curitiba e Vitória.Hoje, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) avalia, em reunião de diretoria, o contrato de concessão da Azul. A empresa já solicitou cinco freqüências diárias para as rotas Campinas-Porto Alegre e Campinas-Salvador. A companhia precisa da aprovação dos horários de trânsito (hotrans) para começar a vender passagens, o que deve ocorrer na primeira semana de dezembro.A empresa nasce em 15 de dezembro com cinco jatos Embraer, sendo dois do modelo 190 e três do 195. Quando receber um terceiro 190, previsto para o início de janeiro, a empresa deve iniciar os vôos Campinas-Curitiba e Campinas-Vitória, com quatro freqüências diárias cada.A Azul fez uma encomenda de 40 jatos 195, com outras 36 opções. Os 190 que estão sendo incorporados eram da JetBlue, empresa que tem em comum com a Azul o fundador David Neeleman, empresário americano nascido no Brasil, que está reduzindo sua malha diante das dificuldades do setor nos EUA. A expectativa da Azul é de finalizar 2009 com 16 aviões. A empresa espera receber 42 aeronaves até o final de 2012.A Azul nasce antes e com mais musculatura do que o previsto no plano de negócios original. Mesmo assim, a oferta ainda é muito pequena diante do tamanho das líderes Gol e TAM, que operam com aviões de 160 a 180 lugares, enquanto os da Azul terão até 118. Com seis aviões voando uma média de 9 horas e 15 minutos por dia, a Azul terá uma oferta de assentos por quilômetro de 106 milhões mensais, equivalente à 55% da oferta de outubro da WebJet, segundo cálculos do consultor Paulo Bittencourt Sampaio.A WebJet, que detém 3,27% do mercado, opera 9 Boeings 737-300 e deve chegar a 11 até dezembro. Já a TAM vai encerrar o ano com 101 Airbus no mercado doméstico (de uma frota total de 125 jatos), e receberá outros três jatos em 2009 só para vôos domésticos. A Gol pretende ampliar sua frota de 104 Boeings 737, modelos 300, 700 e 800, para 108 aeronaves (700 e 800). Os aviões são usados no mercado doméstico e na América do Sul. "Nessa fase inicial, pelo porte e pela malha, a Azul não concorre diretamente com TAM e Gol, pois está criando rotas alternativas", afirma Sampaio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.