Bacias do ES e de Santos impulsionarão produção de gás

O Plano Estratégico 2007-2011 da Petrobras, que o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, anunciará nesta terça-feira às 16 horas, no Rio de Janeiro, prevê que a produção nacional de gás natural nos próximos cinco passará dos atuais 48 milhões de metros cúbicos diários para cerca de 76,5 milhões de metros cúbicos por dia. Segundo uma alta fonte do governo, que antecipou os números, esse crescimento se dará, principalmente, com a já anunciada antecipação da produção nas bacias do Espírito Santo e de Santos.Essa expansão da produção doméstica é bem mais ambiciosa do que o que estava previsto no plano estratégico 2006-2010. O documento previa que em 2010, a produção nacional chegaria a 69,6 milhões de metros cúbicos por dia."O que estamos sinalizando é que, até 2011, teremos um crescimento da produção doméstica semelhante ao volume que importamos da Bolívia", disse a fonte do governo, que pediu para não ser identificada. Com relação às importações da Bolívia, o Plano Estratégico confirmará declarações feitas por executivos da Petrobras logo após o início da crise com o país vizinho, de que a estatal não expandirá, além do que está previsto em contrato, a importação de gás boliviano. O plano prevê que, em 2011, a Petrobras comprará 30 milhões de metros cúbicos por dia de gás da Bolívia. Apesar de superior aos 24 milhões de metros cúbicos diários importados hoje, esse montante estimado para 2011 representa o teto previsto no contrato atual. No planejamento de 2006-2010 (feito antes da crise) a estatal estimava que, em 2010, importaria 41 milhões de metros cúbicos diários de gás dos bolivianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.