Bairro do Morumbi em SP atrai investidores

Líder no ranking do prêmio Top do Mercado Imobiliário, concedido pelo jornal O Estado de S. Paulo no último dia 5, o Morumbi é a região de São Paulo que mais recebeu lançamentos no ano 2000. Ao todo foram 42 novos empreendimentos. Pelo que tudo indica, neste ano, ocupará novamente a liderança nos quesitos número de lançamentos, blocos de unidades lançadas, área total e produto total lançados.Apesar de nos dois primeiros meses de 2001 as pesquisas da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp) não terem resgistrado lançamentos na região do Morumbi, o número de projetos aprovados na Prefeitura indica que até 2002 o distrito receberá mais de 50 novos empreendimentos. Em 2000, o total de projetos aprovados para a região chegou a 36 e, no primeiro bimestre deste ano, já foram aprovados 13 novos empreendimentos."O Morumbi é um macrobairro que congrega uma série de microbairros que têm uma oferta muito grande de áreas livres para construção", comenta o diretor da Embraesp, Luiz Paulo Pompéia.Metro quadrado da região custa R$ 1.808,68 em médiaNos últimos dois anos, a média de preços dos imóveis no Distrito do Morumbi foi de R$ 1.808,68 o metro quadrado de área útil. Vale ressaltar, no entanto, que a região tem ofertas que atendem às classes alta média e média baixa por possuir vários microbairros, como a Vila Andrade, Jardim Guedala, Real Park, Panamby, entre outros,."A grande oferta de terrenos faz com que eles sejam mais baratos, e a concorrência na região termina sendo acirrada", diz o diretor comercial da construtora Tecnisa, Waldemar Vianna. Essa concorrência, para Vianna, é muito positiva. "A diversidade e qualidade são um dos principais atrativos aos empreendimentos da região", explica.Bairro carrega glamour no nomePompéia, da Embraesp, informa que, além das boas ofertas de terrenos que são raras em outras regiões de São Paulo, o fato do nome Morumbi ter um certo "glamour" faz das estratégias de marketing uma ferramenta poderosa para o sucesso de vendas. "As pessoas podem estar morando em um determinado microbairro, mas preferem dizer que estão no Morumbi, pois essa fama de bairro chique não acabará", diz.O diretor de incorporações da Cyrela, Eduardo Machado, relembra que o status de bairro nobre do Morumbi surgiu há muitos anos. "Bem planejado e com muita arborização, era o ideal para quem buscava qualidade de vida", comenta. Conforme os anos foram passando, a região tornou-se bem abastecida de comércio, serviços, meios de transportes, rede de água e esgoto, eletricidade, e com isso atraiu os empreendedores. "Mas precisamos tomar cuidado para que a infra-estrutura não sature com o aumento da demanda", alerta Machado. "É importante que o desenvolvimento imobiliário seja acompanhado de investimentos na infra-estrutura do bairro", avisa.Em um dos últimos levantamentos feito pela Secretaria Municipal de Planejamento, mais de 40 mil pessoas moram no Morumbi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.