Baixa inflação na Austrália pode levar a corte de juros

O Banco da Reserva da Austrália (RBA, na sigla em inglês) manteve sua taxa de juros inalterada em uma mínima histórica de 2,75% em julho, e afirmou que a baixa inflação continua a deixar a porta entreaberta para um novo corte nas taxas de juros se a economia necessitar de mais apoio. As informações foram divulgadas há pouco pela ata da última reunião de política monetária do banco central australiano, realizada em 2 de julho.

AE, Agencia Estado

16 de julho de 2013 | 03h05

Além disso, a autoridade monetária do país afirmou que a queda acentuada do dólar australiano desde maio deste ano acrescentaria um pouco de inflação ao longo do tempo.

"O conselho também julgou que as perspectivas de inflação, embora um pouco maiores por causa da depreciação da taxa de câmbio, ainda podem fornecer alguma margem para uma maior flexibilização", disse o banco central em ata.

Em maio, o Banco da Reserva da Austrália reduziu a taxa básica de juros em maio para 2,75% com o objetivo de estimular a atividade em setores mais fracos da economia, como o varejo e a construção de moradias.

"Os efeitos das taxas de juros mais baixas são visíveis através de uma série de indicadores", afirmou o RBA, acrescentando que os sinais de recuperação foram mais evidentes no mercado imobiliário, onde as aprovações para a construção de casas novas subiram, enquanto os preços das casas aumentaram no último ano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.