Balança comercial derruba cotação do dólar

Os números da balança comercial de novembro, com superávit de US$ 288 milhões, anularam a apreensão que o mercado nutria em relação ao pacote argentino, divulgado no final de semana, e garantiram uma abertura do dólar em queda. Além disso, no decorrer da manhã, começaram haver rumores de que investidores estrangeiros que participaram do leilão da Aneel feito sexta-feira estavam trazendo dinheiro para o País e a queda se acentuou. A dolarização parcial da economia argentina porém, ainda deve ficar na cabeça dos analistas e, alguns operadores, afirmam que o mercado deve ter uma comportamento cauteloso. Os analistas avaliam que se os investidores começarem a apostar que as medidas anunciadas no país vizinho durante o final de semana são só o primeiro passo para a desvalorização pode haver nervosismo. "Hoje não dá para esquecer totalmente da Argentina", arrisca um especialista. Além da balança comercial, o Brasil conta com outro número aliado neste final de mês, que é o fluxo de recursos positivo. A somatória dos dois dados é que ameniza a reação brasileira ao pacote argentino. Números dos mercados Há pouco, o dólar comercial para venda estava cotado em R$ 2,46, com queda de 1,44%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano -pagavam juros de 21,43% ao ano, frente a 21,65% ao ano na sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operava em alta de 1,48%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

03 Dezembro 2001 | 11h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.