Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Balança comercial registra superávit de US$ 1,523 bilhão

Na quarta semana de março, superávit foi de US$ 372 milhões; no acumulado de março até o dia 25, saldo comercial é positivo em US$ 1,1 bilhão

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

26 de março de 2012 | 15h16

BRASÍLIA - A balança comercial brasileira registrou na quarta semana de março, com cinco dias úteis, superávit de US$ 372 milhões, resultado de exportações no valor de US$ 4,839 bilhões e de importações de US$ 4,467 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 26, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). No acumulado de março até o dia 25, o saldo comercial é positivo em US$ 1,100 bilhão. As vendas externas somaram no período US$ 16,277 bilhões e as importações, US$ 15,177 bilhões. No ano, o superávit acumulado é de US$ 1,523 bilhão, com as exportações totalizando US$ 50,446 bilhões e as importações, US$ 48,923 bilhões.

Importações em ritmo maior

Apesar do superávit comercial acumulado em março, as importações brasileiras estão crescendo em um ritmo maior que as exportações. Segundo dados divulgados pelo MDIC, as compras de produtos importados subiram, pela média diária, 5,7% este mês em relação a março de 2011. As exportações, pelo mesmo critério, registraram alta de 4,3%.

A média diária das importações até a quarta semana de março deste ano foi de US$ 892,8 milhões, ante US$ 844,5 milhões em março de 2011. Aumentaram as compras brasileiras no mercado externo, principalmente, de adubos e fertilizantes (43,4%), farmacêuticos (24,2%), instrumentos de ótica e precisão (16,8%), siderúrgicos (15,1%), combustíveis e lubrificantes (14,8%) e químicos orgânicos e inorgânicos (6,5%).

Nas exportações, a média diária até o dia 25 de março foi de US$ 957,5 milhões, ante US$ 918,4 milhões em março de 2011. As vendas externas de produtos básicos e manufaturados subiram 12,3% e 0,3%, respectivamente, enquanto que as exportações de semimanufaturados caíram 12,7%.

Nos básicos, aumentaram os embarques de algodão em bruto, petróleo em bruto, arroz em grão, fumo em folhas e soja em grão. Nos manufaturados, a pequena alta foi puxada por máquinas e aparelhos para terraplanagem, óleos combustíveis, açúcar refinado, veículos de carga e polímeros plásticos. A queda das exportações de semimanufaturados ocorreu pela redução das vendas de alumínio em bruto, açúcar em bruto, ferro fundido, couros e peles, celulose e semimanufaturados de ferro e aço.

Queda do superávit

O ritmo mais forte das importações em relação às exportações em 2012 já levou a uma queda do superávit da balança comercial brasileira em 41,6%. Até a quarta semana de março, o saldo é positivo em apenas US$ 1,523 bilhão, ante US$ 2,609 bilhões no mesmo período do ano passado. Segundo os dados divulgados há pouco pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as importações registram, pela média diária, um crescimento de 9% este ano em relação ao mesmo período de 2011, enquanto as exportações têm incremento de 6,3% pelo mesmo critério.

No ano até o dia 25 de março, as importações somam US$ 48,923 bilhões, com média diária de US$ 843,5 milhões. As exportações acumulam o valor de US$ 50,446 bilhões, com média diária de US$ 869,8 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
balançamarço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.