finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Balança comercial tem superávit na 2ª semana do mês

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 718 milhões na segunda semana de outubro (7 a 13), segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). As exportações somaram US$ 4,867 bilhões no período e as importações, US$ 4,149 bilhões.

SANDRA MANFRINI, Agencia Estado

14 de outubro de 2013 | 16h28

No mês, a balança acumula superávit de US$ 2,572 bilhões, com exportações de US$ 10,936 bilhões e importações de US$ 8,364 bilhões. No ano, o saldo comercial é positivo em US$ 964 milhões até a segunda semana de outubro. As exportações totalizam US$ 188,586 bilhões no ano no período e as importações, US$ 187,622 bilhões.

Segundo o MDIC, a média diária exportada na segunda semana de outubro foi de US$ 973,3 milhões. Esse valor é 35,9% menor que a média de US$ 1,517 bilhão registrada na primeira semana do mês. Segundo os dados do ministério, essa retração foi decorrente da queda nas exportações de manufaturados (-56,4%), em razão de plataformas de perfuração/exploração, açúcar refinado, veículos de carga, etanol e motores e geradores elétricos. Também caíram as exportações de produtos básicos (-19,3%), em razão, principalmente, de minério de ferro, petróleo em bruto, milho em grãos e algodão.

Por outro lado, as vendas de semimanufaturados cresceram 31,3%, puxadas pelas exportações de açúcar em bruto, celulose, óleo de soja em bruto e ouro em formas semimanufaturadas.

Com relação às importações, a média diária caiu 21,3%, passando de US$ 1,053 bilhão para US$ 829,7 milhões. Segundo os dados do MDIC, houve redução nos gastos com combustíveis e lubrificantes, aparelhos eletroeletrônicos, adubos e fertilizantes e siderúrgicos.

Resultado do mês

A média diária exportada no mês (US$ 1,215 bilhão) até a segunda semana cresceu 22,8% ante a média verificada em outubro de 2012 (US$ 989,2 milhões). Esse aumento ocorreu em razão das exportações de manufaturados (+50,7%), com destaque para plataformas de perfuração/exploração, automóveis de passageiros, tubos flexíveis de ferro/aço, veículos de carga e motores e geradores elétricos; e de produtos básicos (+10,9%), em razão, principalmente, de petróleo em bruto, soja em grão, minério de cobre e bovinos vivos.

Por outro lado, as vendas de semimanufaturados caíram 11,9% pelo mesmo critério na média diária, na comparação com outubro de 2012. Foi retração das vendas de açúcar em bruto, ouro em formas semimanufaturadas, estanho em bruto, mates de níquel e catodos de cobre.

Na comparação com setembro deste ano, quando a média exportada foi de US$ 999,8 milhões, as exportações cresceram 21,5% no acumulado de outubro. Segundo dados do MDIC, esse aumento foi decorrente do crescimento das vendas externas de produtos manufaturados (+68,6%) e semimanufaturados (+8,9%), enquanto as exportações de básicos caíram 6,8%.

Nas importações, a média diária até a segunda semana de outubro foi de US$ 929,3 milhões, valor 1,7% superior ao registrado em outubro de 2012 e 3,5% superior a de setembro deste ano. Na comparação com outubro do ano passado, cresceram os gastos com aeronaves e peças (+36,5%), combustíveis e lubrificantes (+34,0%), equipamentos elétricos e eletrônicos (+12,4%), químicos orgânicos e inorgânicos (+7,8%) e siderúrgicos (+5,7%). Na comparação com setembro, houve aumento dos gastos com aeronaves e peças (+58,4%), cobre e obras (+28,8%), combustíveis e lubrificantes (+14,3%) e cereais e produtos de moagem (+8,6%).

Tudo o que sabemos sobre:
balança comercialparcial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.