coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Balança de maio foi afetada por greve, diz Furlan

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, disse nesta segunda-feira que os números da balança comercial de maio, sobretudo as exportações, estão imperfeitos. De acordo com os dados divulgados na semana passada, houve desaceleração das exportações e do saldo comercial. Porém, segundo Furlan, os dados foram afetados pela greve da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e a operação mais lenta da Receita Federal, ambas em maio.O governo espera os números de junho para, só então, ter assegurado, se existe ou não, tendência de desaceleração das exportações. De qualquer forma, o ministro lembrou que a expectativa do governo, desde que as projeções foram anunciadas em janeiro, é de que o crescimento das exportações perca velocidade e as importações cresça em ritmo maior.Para o ministro, o aumento das compras não preocupa o governo. Mas as exportações em segmentos de mão-de-obra intensiva é que geram temor.Furlan, que chegou no fim de semana de uma viagem por países da América Central, informou que recebeu no último domingo a análise do desempenho de 54 setores exportadores em maio. E alguns confirmaram desaceleração, como o automotivo, o de móveis e calçados. Mas há, no entanto, uma série de outros setores com forte dinâmica.O ministro participou do 8º Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais, promovido pelo Instituto Brasileiro de Relação com Investidores (Ibri) e pela Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca). Ele viaja neste momento para o Rio de Janeiro, onde almoça com o secretário de Comércio dos Estados Unidos, Carlos Gutierrez.

Agencia Estado,

05 de junho de 2006 | 13h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.