Balança: greve da Receita distorceu dados de abril

O secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Welber Barral, disse hoje que a greve dos auditores da Receita Federal, iniciada em 18 de março, distorceu os dados estatísticos da balança comercial brasileira referentes a abril. "Isso afeta tanto as exportações quanto as importações", comentou o secretário. Ele explicou que, no caso das vendas externas, o impacto da greve é maior no registro das commodities, como produtos agrícolas e metálicos.Barral deu como exemplo as exportações de soja, farelo de soja e minério de ferro, que totalizaram US$ 1,2 bilhão em abril. Foram embarcadas para o exterior, mas não foram registradas no Sistema de Comércio Exterior (Siscomex). "As exportações de commodities precisam do aval da Receita Federal para entrar nas estatísticas", explicou o secretário. Barral citou também as exportações de petróleo, no valor de US$ 600 milhões, fechadas no mês passado, mas que, por causa da greve dos auditores, não tiveram a liberação do despacho e, por isso, nem chegaram a ser embarcadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.