Balança: superávit de maio é baixo

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 392 milhões em maio, segundo apurou a repórter Nélia Marquez. O número é resultado de exportações de US$ 5,063 bilhões e importações de US$ 4,671 bilhões. O valor das exportações em maio é recorde para o mês, mas está distorcido. Isso porque foram devolvidas duas aeronaves da Vasp ao Japão, por falta de pagamento. Esses aviões entraram na conta de exportação.O valor das aeronaves é de US$ 160 milhões. Se forem descontadas das exportações, o superávit cai para US$ 232 milhões. Mesmo assim é o melhor resultado do ano, mas está abaixo do superávit registrado em dezembro de 99, US$ 248 milhões.No ano, a balança acumula superávit de US$ 599 milhões. No mesmo período do ano passado, a balança apresentou déficit de US$ 476 milhões. No ano, as exportações estão acumuladas em US$ 21,292 bilhões e as importações, em US$ 20,693 bilhões. Acordo com o FMI projeta superávit comercia de US$ 4 bilhões em 2000 Apesar do saldo positivo registrado em maio, o País ainda tem muito a fazer para alcançar a meta estabelecida com o FMI de US$ 4 bilhões. Na quinta revisão do acordo, acertada ontem em Washington, nos Estados Unidos, o número foi mantido. O baixo crescimento do saldo da balança comercial foi creditado ao aumento no preço dos produtos importados, principalmente petróleo. Por outro lado, houve uma redução dos preços dos produtos exportados, especialmente agrícolas. Esperava-se também que as exportações aumentassem por conta da desvalorização cambial. Isso vem acontecendo, mas em ritmo mais lento do que o necessário para uma recuperação mais rápida da balança comercial. Veja na seqüência os comentários de especialistas em comércio exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.