Balança tem um dos menores superávits do ano

O saldo da balança comercial (exportações menos importações) na terceira semana de maio foi superavitário em US$ 433 milhões - um dos menores resultados do ano. Tomando como base o US$ 1,071 bilhão da semana anterior, a queda foi de 59,57%. Segundo informou nesta segunda-feira o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o principal responsável é a greve dos auditores fiscais nas aduanas. A Advocacia Geral da União está obtendo na Justiça liminares que garantir pelo menos 30% dos auditores fiscais nas aduanas para desembaraçar as mercadorias que estão nos portos e aeroportos. As vendas no período somaram US$ 2,247 bilhões, com média diária de US$ 449,4 milhões; e as compras foram de US$ 1,814 bilhão, ou US$ 362,8 milhões ao dia. Mesmo com o baixo desempenho total, na comparação com maio do ano passado, a média diária das exportações na semana passada foi 1,7% maior. Já o crescimento da média das importações foi menor: 0,7%. Na comparação com abril deste ano, a média das exportações de maio caiu 12,7%, e a média das importações teve retração de 18,1%. No mês, o superávit acumulado é de US$ 2,384 bilhões e, no ano, de US$ 14,822 bilhões. Em relação ao acumulado no ano, as exportações cresceram 13,2%, mas as importações tiveram um crescimento maior: 19,4%. Este texto foi atualizado às 11h06.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.