Balanços das empresas marcam escolhas dos analistas

Equipe do BB Investimentos indicou a varejista Magazine Luiza, que, segundo relatório do banco, apresentou um balanço forte, com números que superaram expectativas

Karin Sato, O Estado de S.Paulo

03 Março 2018 | 05h00

Os resultados financeiros das empresas que já foram publicados ou ainda serão balizam as escolhas dos analistas neste início de mês. A equipe do BB Investimentos indicou a varejista Magazine Luiza, que, segundo relatório do banco, apresentou um balanço forte, com números que superaram suas expectativas.

“Além da melhora nos fundamentos econômicos, a varejista também vem colhendo os frutos de suas acertadas estratégias comerciais baseadas em transformação digital, com foco no e-commerce e no marketplace”, afirmou relatório do BB.

Mais uma indicação do banco foi a CSN. Os analistas explicaram que, no final do mês de março, a empresa divulgará seus resultados, que devem vir fortes do lado operacional. A expectativa é de aumento do volume vendido no segmento de aço, influenciado por uma maior demanda no mercado interno, principalmente do setor automotivo.

O time da XP, por sua vez, diz ter ficado “bastante satisfeito” com o desempenho do Santander no ano passado, particularmente nos últimos três meses de 2017. “O lucro líquido gerencial de R$ 2,7 bilhões no quarto trimestre veio cerca de 8% acima das expectativas e levou o ROE médio (retorno anualizado) para acima dos 18%. Acreditamos que o bom momento continuará e que possivelmente veremos revisões positivas das expectativas”, explicou a analista Bruna Pezzin.

Já analistas do Santander indicaram a BR Distribuidora, que ainda abrirá os seus dados do quarto trimestre do ano passado. Analistas do banco explicaram que a BR é a maior empresa de distribuição de combustíveis do Brasil, embora ainda não seja a mais eficiente do setor. “Apesar disso, acreditamos que a implementação de iniciativas para expandir a receita e cortar custos, elevando gradativamente suas eficiências operacionais, permitirá à companhia reduzir a diferença de desempenho e valuation frente aos seus dois maiores competidores (Ipiranga e Raízen Combustíveis)”, justificou o banco.

 

 

O analista Vitor Suzaki, da Lerosa Investimentos, optou pela indicação do IRB Brasil RE, no lugar da BB Seguridade. “É do mesmo setor, porém o IRB possui uma dinâmica diferenciada, por se tratar de uma resseguradora e contar com operações internacionais, o que reduz o impacto da queda da taxa de juros doméstica na sua receita contando ainda com a possibilidade de ganho cambial”, ressaltou.

A Magliano Invest alterou todo o seu portfólio, indicando desta vez Ambev, Klabin, Localiza, M. Dias Branco e Multiplus. Sobre Localiza, Carlos Soares, analista da corretora, disse que está otimista com o segmento de aluguel de carros e lembrou da possibilidade de a empresa ter flexibilidade para elevar a receita por meio de aluguel ou venda de seminovos.

Ele espera que a companhia apresente melhora dos resultados no quarto trimestre, com a gradual retomada da economia, bem como tenha elevação de receita diante do período de eleições, em que sazonalmente ocorre uma demanda adicional por locação de veículos.

Quanto à Ambev, Soares diz que, mesmo pressionada pela queda do volume de vendas por conta da piora da atividade econômica, a empresa seguiu apresentando crescimento nas receitas que, somadas a um maior controle de gastos, permitiu a manutenção em seu desempenho operacional.

Mais conteúdo sobre:
mercado de capitais Ambev Magazine Luiza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.