Balanços do BB e da Magazine Luiza são destaques da temporada

Varejista superou acima das expectativas, com o resultado mostrando não somente a captura de melhores fundamentos econômicos, mas também a execução de estratégias comerciais assertivas

Karin Sato e Fátima Laranjeira, O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2018 | 05h00

Muitas empresas já divulgaram os resultados financeiros do quarto trimestre do ano passado e Magazine Luiza e Banco do Brasil foram eleitos por analistas participantes da coluna como os grandes vencedores, até o momento. O time da XP lembra que os números da Magazine Luiza ficaram, mais uma vez, acima das expectativas, com o resultado mostrando não somente a captura de melhores fundamentos econômicos, mas também a execução de estratégias comerciais assertivas.

O analista da Lerosa Investimentos, Vitor Suzaki, acredita que, até o momento, o grande vencedor é o Banco do Brasil, com retorno da rentabilidade em dois dígito e guidance positivo para 2018.

Carlos Soares, da Magliano Invest, afirma que, no geral, na média, os resultados estão superando as expectativas. Os destaques, na sua avaliação, são os bancos e as varejistas.

 

 

“Estamos no meio da safra de resultados corporativos e acreditamos que os próximos balanços a serem divulgados continuarão a confirmar resultados crescentes, o que deve se traduzir em um viés positivo para o comportamento das ações”, diz o analista da Magliano.

Para Suzaki, outra empresa que apresentou bons números foi a Duratex, com recuperação de receita, margens e lucratividade, com destaque para a venda de terras e florestas para a Suzano. “Com isso, a empresa reduz o endividamento e racionaliza os ativos, sem risco de desabastecimento”, afirma.

A divulgação dos primeiros balanços teve influência na mudança da carteira de algumas corretoras. A Lerosa optou por incluir Pão de Açúcar, diante de melhora apresentada no balanço apresentado esta semana. “Destaco o ganho de participação de mercado nos últimos trimestres e a expectativa de venda da participação na Via Varejo e de melhora da gestão sob novo comando”, explica Suzaki.

A Magliano incluiu Vale, AES Tietê, Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep), Multiplan, que divulgam seus demonstrativos financeiros na próxima semana, e Gerdau. “O resultado da Vale no terceiro trimestre do ano passado veio forte e esperamos que deva se repetir no quarto trimestre devido principalmente ao maior preço médio do minério de ferro”, explica a equipe de análise da corretora.

Sobre a AES Tietê, a aposta é no potencial de geração de caixa e de valor ao acionista da companhia. Quanto à Companhia de Transmissão Paulista, a expectativa é de que apresente bons números relativos ao quarto trimestre.

Outro papel que entrou no portfólio da Magliano foi a Gerdau. “O cenário para o setor siderúrgico no Brasil começa a dar sinais de melhora, sendo que, em 2018, este comportamento deverá ser mais visível nos resultados, quando o setor começará a colher os frutos de uma retomada mais substancial da economia do País.”

Já a Terra investimentos incluiu CCR, que apresentou balanço nesta semana. “As receitas têm elevada correlação com o nível de atividade econômica. Há expectativa de aumento do tráfego nas rodovias administradas, principal segmento de negócio da CCR. As tarifas são corrigidas pelos índices de inflação, assim como seus contratos com terceiros. O modelo de negócio tem como característica a forte geração de caixa”, diz o relatório da corretora.

Mais conteúdo sobre:
Magazine LuizaBanco do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.