Balanços positivos de empresas dos EUA surpreendem

As empresas dos Estados Unidos surpreenderam e tiveram crescimento do lucro e das receitas no primeiro trimestre mesmo com a economia estagnada no período. Ao contrário do que se esperava, os balanços consolidados não mostraram queda dos ganhos e 75% das companhias reportarem resultados acima do previsto pelos analistas. Para o segundo trimestre, a expectativa é de números ainda melhores, na medida em que o Produto Interno Bruto (PIB) do país deve se recuperar dos efeitos negativos do inverno rigoroso e das nevascas.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Agencia Estado

18 de maio de 2014 | 08h49

A temporada de balanços do primeiro trimestre dos Estados Unidos vai chegando ao fim. Cerca de 95% das empresas já divulgaram resultados e tiveram aumento de 5,9% no ganho por ação na comparação com o mesmo período de 2013, de acordo com cálculos do banco RBC Capital Markets. Antes dos anúncios de resultados começarem, a projeção de Wall Street era de queda de 1,3% no lucro.

Além de 75% das empresas terem lucros por ação acima da média das estimativas dos analistas, 54% tiveram receitas melhores que o esperado, mostram dados da FactSet, empresa especializa em medir consensos de analistas e avaliar dados financeiros.

As companhias registraram aumento de 2,7% nas receitas. Antes, a expectativa era de expansão de 2,5%. O setor de tecnologia foi um dos que mais tiveram surpresas positivas, com 79% das companhias, que incluem nomes Apple, Microsoft e Facebook, reportando lucro acima da média das previsões.

O setor de telefonia foi o que registrou maior aumento de ganhos, que cresceram 31% na comparação com o mesmo período de 2013, com resultados como o da operadora Verizon surpreendendo, segundo a FactSet.

Já o setor de energia e petróleo ficou na lanterna, com queda de 2,8%. As gigantes do petróleo, como ExxonMobil e a Chevron, tiveram quedas nos lucros, com produção em baixa e margens no refino mais apertadas e acabaram tendo impactos nos números do setor. Só o ganho da Chevron, segunda maior petroleira dos EUA, recuou 27%.

O setor financeiro foi outro a decepcionar, especialmente por conta dos balanços dos grandes bancos, com números mistos. No geral, o lucro dos bancos caiu 14%, puxado pelo Bank of America, que teve um inesperado prejuízo no primeiro trimestre de US$ 276 milhões por conta de litígios judiciais. Já o Morgan Stanley surpreendeu com ganho 55% maior.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAbalançoempresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.