Bancários de São Paulo decidem continuar em greve

Após assembléia realizada na tarde desta terça-feira, o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região decidiu continuar com a greve, iniciada pelos trabalhadores no dia 15 de setembro, em protesto à proposta de reajuste salarial feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Foi a primeira assembléia realizada depois que a categoria encaminhou uma contraproposta à Fenaban. Na segunda-feira, a Executiva Nacional dos Bancários recuou nas negociações e definiu a entrega da contraproposta que prevê reajuste de 19%, abono de R$ 1.500,00 e participação nos Lucros e Resultados (PLR) de um salário, mais o valor fixo de R$ 1.200,00. A proposta original era de reajuste salarial de 25% (composto por reposição da inflação e aumento real de 17,68%). A proposta da Fenaban prevê reajuste de 8,5% mais R$ 30,00 para quem ganha salários até R$ 1.500,00, o que implicaria em reajustes de até 12,77%.Depois da assembléia, os bancários fazem uma passeata pelas ruas da região central de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.