Bancários de SP mantêm greve por tempo indeterminado

Os bancários de São Paulo decidiram manter a greve da categoria por tempo indeterminado. A decisão foi tomada durante uma assembleia na tarde desta segunda-feira. De acordo com o sindicato, não existe nenhuma nova proposta e nenhuma negociação com a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) foi marcada.

AE, Agencia Estado

28 de setembro de 2009 | 19h35

Este é o quinto dia de paralisação e, segundo o sindicato, 39 mil trabalhadores aderiram à greve em São Paulo, Osasco e região. Na próxima quarta-feira, dia 30, haverá outra assembleia às 17 horas.

A categoria pede 10% de reajuste salarial, participação nos lucros e resultados (PLR) composta pelo pagamento de três salários, acrescidos de valor fixo de R$ 3.850, além de proteção ao emprego em caso de fusão de bancos e o fim do assédio moral e de metas consideradas abusivas pelos funcionários.

Tudo o que sabemos sobre:
grevebancosSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.