Bancários decidem continuar greve

Em assembléia realizada nesta tarde os bancários paulistas decidiram pela continuidade da greve. Balanço divulgado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região indica que ficaram paralisados hoje 292 locais de trabalho, com um total de 25 mil trabalhadores. Os bancários reivindicam reajuste salarial de 25% (composto por reposição da inflação e aumento real de 17,68%) e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de um salário mais R$ 1.200, entre outras solicitações. A proposta da Fenaban rejeitada pelos trabalhadores prevê reajuste salarial de 8,5% mais R$ 30 para quem ganha salários até R$ 1.500 - o que implicaria em reajustes de até 12,77% e aumento real de 5,75%. Na quarta-feira, bancários e banqueiros devem se reunir no TRT-SP para uma audiência de conciliação. Ao fazer a convocação o vice-presidente do TRT-SP, Pedro Paulo Teixeira Manus indeferiu o pedido de liminar do Ministério Público do Trabalho para obrigar 70% dos bancários a voltarem imediatamente aos seus postos para não prejudicarem o atendimento à população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.