Bancários decidem manter paralisação em Minas Gerais

Segundo o sindicato, adesão ao movimento atingia 92% das agências da CEF e 50% do BB em BH

Raquel Massote, da Agência Estado,

25 de setembro de 2009 | 15h59

Os bancários mineiros decidiram nesta sexta-feira, 25, durante assembleia da categoria, manter a paralisação por tempo indeterminado, de acordo com informações do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e Região, que reúne trabalhadores de 15 municípios do Estado.

 

Veja também:

linkNo segundo dia de greve, 23 mil bancários param em SP

linkBancários paralisam 2,5 mil agências por todo o País

 

Segundo o sindicato, até o meio-dia desta sexta-feira a adesão ao movimento atingia 92% das agências da Caixa Econômica Federal e 50% do Banco do Brasil e outras 20 agências de bancos privados na capital mineira.

 

A adesão ao movimento nacional foi decidida em assembleia realizada quarta-feira. Pela manhã, os sindicalistas se concentraram na porta da agência do Banco do Brasil, no centro de Belo Horizonte e decidiram pela continuidade da greve.

 

Entre as reivindicações dos bancários está reajuste salarial de 10%. A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ofereceu correção de 4,5% nos salários em proposta apresentada no último dia 17. O Sindicato dos Bancários informou que está prevista nova assembleia na segunda-feira, ao meio-dia, no centro da capital, para decidir se os bancários irão manter a paralisação.

Tudo o que sabemos sobre:
grevebancosMinas Gerais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.