Bancários decidem, nesta quinta, se continuam em greve

O presidente do Sindicato dos Bancários de Brasília, Jacy Afonso, disse que os funcionários do Banco do Brasil (BB) e da Caixa Econômica Federal (CEF) em Brasília vão decidir nesta quinta-feira, em assembléia marcada para as 17 horas, se atendem ao pedido feito pelo presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Vantuil Abdala, para que voltem ao trabalho, enquanto aguardam o julgamento do dissídio pelo tribunal, até quinta-feira da semana que vem.Na assembléia, os funcionários dos dois bancos estatais deverão decidir, também, sobre as propostas feitas por Abdala, de pagamento de um abono de R$ 1.000,00 e não-desconto dos dias parados. A greve completa seu 30º dia nesta quinta-feira.Afonso disse que não foi possível decidir sobre essas propostas e, também, a idéia levada ao TST pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Crédito (Contec), de aumento de um ponto porcentual nas propostas de reajuste do BB e da CEF (a atual é entre 8,5% e 12% para um pedido de 25% dos bancários). Segundo ele, a assembléia desta quarta já estava diluída quando ele levou as propostas feitas durante as audiências de conciliação feitas, à tarde, separadamente, pelo presidente do TST, entre bancos e bancários do BB e da CEF. Portanto, segundo Jacy Afonso, até que a assembléia decida, os bancários dos dois estabelecimentos estatais permanecerão em greve, seguindo decisão pela continuação do movimento, tomada pela última assembléia da categoria, segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.