Bancários e Caixa Econômica também dividirão ônus da greve

O plenário do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ao concluir, nesta quinta-feira, o julgamento do dissídio coletivo dos servidores da Caixa Econômica Federal (CEF), anunciou sentença idêntica à proferida no caso dos funcionários do Banco do Brasil (BB). Ou seja: a CEF terá que pagar metade dos dias parados, e os bancários vão repor os outros 50%.Com essa decisão, os ministros ratificaram, por unanimidade, o voto do relator dos dois dissídios, ministro Antônio Barros Levenhagen, de que a responsabilidade pela greve seja dividida entre o banco e seus empregados. Assim como o BB, a Caixa fica obrigada a devolver o equivalente ao desconto, já efetuado, de cinco dias de trabalho, e os funcionários receberão, independentemente do salário, um abono de R$ 1 mil, a ser pago de uma única vez, e um reajuste de 8,5% sobre o salário de agosto de 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.