Bancários em greve em São Paulo e Osasco já somam 14 mil

Funcionários realizam assembléia para avaliar a paralisação e definir os rumos da campanha nesta tarde

SOLANGE SPIGLIATTI, Agencia Estado

13 de outubro de 2008 | 15h09

Cerca de 14 mil bancários, representando 12% do total dos trabalhadores, aderiam à paralisação em São Paulo, Osasco e região, segundo balanço parcial feito nesta segunda-feira, 13, pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região. Nesta segunda, às 17 horas, os trabalhadores realizam assembléia para avaliar a paralisação e definir os rumos da campanha.  Estão paralisados os trabalhos em 308 agências bancárias e nos centros administrativos do Unibanco na Praça do Patriarca e na Rua Boa Vista; Centro Administrativo São Paulo (Casp) do HSBC, na Vila Leopoldina; os prédios administrativos do Banco do Brasil, da Rua Verbo Divino e do Complexo São João; além do prédio da Aymoré, financeira do Banco Real, na região central da capital paulista. A categoria pede aumento real de 5%, além de reposição da inflação de 7,15%, valorização dos pisos, auxílio-creche de R$ 415, vale-refeição de R$ 17,50, além de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) composta de três salários mais valor fixo de R$ 3.500. Os bancários rejeitaram no dia 24 de setembro proposta dos banqueiros que previa reajuste de 7,5% e PLR menor do que a paga no ano passado. Até agora não há negociação marcada.

Tudo o que sabemos sobre:
bancogreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.