Bancários entram em greve por tempo indeterminado no país

Bancários de todo o país entram em greve por tempo indeterminado a partir desta terça-feira, após não terem recebido até a véspera uma proposta às reivindicações da categoria, informou a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf).

Reuters

18 de setembro de 2012 | 07h55

Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 10,25 por cento, que inclui aumento real de 5 por cento e participação nos lucros e resultados de três salários mais 4,961 mil reais fixos. Também são exigidas melhores condições de saúde e trabalho e mais segurança nas agências.

Em 28 de agosto, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou proposta de reajuste de 6 por cento, que inclui aumento real de 0,58 por cento, considerada pela categoria como "insuficiente".

A paralisação havia sido aprovada em assembleias realizadas em 12 de setembro pelos mais de 130 sindicatos representados pelo Comando Nacional dos Bancários.

Na ocasião, os trabalhadores agendaram para segunda-feira assembleias para avaliar os rumos da mobilização e possível nova proposta pelos bancos.

Segundo a Contraf, "a Fenaban ignorou o prazo oferecido pelo comando nacional dos bancários para apresentar uma proposta decente às reivindicações da categoria".

(Por Vivian Pereira)

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSBANCARIOSGREVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.