Bancários entram no quinto dia de greve e pedem negociação

Funcionários querem aumento real de salário e maior participação nos lucros; sindicato envia ofício à Fenaban

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

28 de setembro de 2009 | 07h46

Os bancários vão manter a greve nesta segunda-feira, 28, entrando no quinto dia de paralisação da categoria, segundo informações do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

 

Na tarde desta segunda, os trabalhadores de São Paulo, Osasco e região realizarão uma assembleia, a partir das 17 horas, na quadra do sindicato, para avaliar a mobilização e decidir os rumos do movimento. Os bancários cobram dos banqueiros que uma negociação seja marcada.

 

No último sábado, 26, o Comando Nacional dos Bancários, decidiu enviar ofício à federação dos bancos (Fenaban) cobrando a retomada das negociações a partir desta terça-feira, 29, e reafirmando as reivindicações da categoria por aumento real de salário, PLR maior, valorização dos pisos, uma política de preservação dos empregos e mais contratações, melhores condições de saúde, segurança e trabalho, auxílio-educação e plano de previdência complementar para todos.

 

A categoria reivindica 10% de reajuste salarial (sendo 5% de aumento real), Participação nos Lucros e Resultados (PLR) composta pelo pagamento de três salários, acrescidos de valor fixo de R$ 3.850. Os trabalhadores também querem a inclusão na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de uma cláusula de proteção ao emprego em caso de fusão. Os bancários exigem ainda o fim do assédio moral e das metas abusivas, práticas que provocam o adoecimento dos trabalhadores.

Tudo o que sabemos sobre:
grevebancosSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.