Bancários fazem protesto contra nova campanha do BB

O Sindicato dos Bancários de Brasília fez nesta quinta-feira uma manifestação em frente à agência central do Banco do Brasil, em Brasília, em protesto contra a nova campanha publicitária da instituição. Para a secretária de Política Sindical, Míriam Fochi, a mudança do nome do banco em 300 agências por nomes pessoais de correntistas, esconde uma tentativa de encaminhar um projeto de privatização do banco. Míriam lembrou que no passado já houve uma tentativa de se trocar o nome do banco de Banco do Brasil para Banco Brasil. Também lembrou da experiência vivida pela Petrobras, que passou por uma tentativa de mudança do nome para Petrobrax. Segundo a sindicalista, o sindicato pretende iniciar um movimento para cobrir, na fachada das agências, o nome das pessoas com a inscrição "do Brasil". "Sabemos que o banco vai retirar as faixas, mas mesmo assim faremos a manifestação", disse Fochi. Nesta tarde haverá uma reunião com o presidente interino do Banco do Brasil, Antonio Francisco de Lima Neto, para discutir entre outros assuntos a nova campanha publicitária do banco. CampanhaCom a nova campanha publicitária, a página da instituição passou a apresentar o nome do cliente ao lado do logotipo do banco. Em dez Estados, o banco trocou os nomes de 300 agências por nomes tipicamente brasileiros na última terça-feira, primeiro dia útil de 2007. Localizadas em pontos centrais de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, as agências passaram a ter em suas fachadas nomes como Banco do João, Banco da Maria ou Banco do Antônio. Todo o esforço é para manter os clientes atuais e ganhar novos em um ambiente no qual se espera mais concorrência neste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.