Bancários não aceitam proposta de reajuste de 7,8%

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou hoje às lideranças sindicais dos bancários, em São Paulo, proposta de reajuste salarial de 7,8%, correspondente à reposição da inflação e aumento real de 0,37 ponto porcentual. No entanto, o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e que negocia o aumento, considerou a proposta insuficiente e orienta os sindicatos de todo o País a rejeitá-la em assembleias marcadas para quinta-feira.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agencia Estado

20 de setembro de 2011 | 20h31

Os bancários reivindicam reajuste de 12,8% no salário (aumento real de 5 pontos) e R$ 545 para cada uma das demandas para vale-refeição, cesta-alimentação, auxílio creche, entre outras. A Fenaban propõe que os bancários que exercem a função de caixa tenham o piso salarial aumentado para R$ 1.842,36 para jornadas de seis horas.

Tudo o que sabemos sobre:
grevebancosFebrabanproposta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.