Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bancários podem parar quarta-feira

Assembléias decidem na 3ª-feira se categoria entra em greve por tempo indeterminado em todo o País

Felipe Maia e Marcelo Rehder, O Estadao de S.Paulo

29 de setembro de 2007 | 00h00

Os sindicatos de bancários ameaçam promover greve nacional por tempo indeterminado a partir de quarta-feira para pressionar os bancos a melhorarem a proposta de aumento salarial. Representantes da categoria rejeitaram ontem nova proposta de reajuste salarial de 5,2%. A oferta anterior previa índice de 4,82%."A proposta é insignificante, uma provocação, não reflete a evolução do faturamento dos bancos", afirmou Carlos Cordeiro, secretário-geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), ligada à Central Única dos Trabalhadores (CUT). "Não nos resta outra alternativa que não responder com greve", acrescentou.A paralisação será votada em assembléias nos 150 sindicatos da Contraf-CUT, marcadas para terça-feira. Ontem, os bancários fizeram paralisação de advertência por 24 horas. A adesão foi parcial na maioria das agências.A categoria quer reajuste de 10%, Participação nos Lucros e Resultados (PLR) equivalente a dois salários mais parcela fixa de R$ 3,5 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.