Bancários prometem iniciar greve nesta quarta-feira

Em assembléia realizada nesta terça-feira, com 2,5 mil participantes, os bancários de São Paulo rejeitaram a proposta feita pelos banqueiros e prometem dar início a uma paralisação nesta quarta-feira. São 106 mil bancários em São Paulo, Osasco e região, segundo o sindicato da categoria. Rio de Janeiro e Brasília também rejeitaram a proposta. A proposta apresentada foi de reajuste salarial de 8,5% mais R$ 30 para quem ganha salários até R$ 1.500 - o que implicaria reajustes de até 12,77% e aumento real de 5,75%. Para os que ganham acima de R$ 1.500, o reajuste sugerido era de 8,5%, assim como para as demais verbas de natureza salarial, como vales alimentação, refeição e auxílio-creche. O INPC do período foi de 6,64%. A proposta previa Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de 80% do salário mais R$ 705 e pagamento de vale-alimentação extra de R$ 217. "Essa proposta arrancada da Federação Nacional dos Bancos no último dia 10 significa o fim do processo negocial. Daqui para a frente, é greve", afirma o presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Luiz Cláudio Marcolino. Às 16h de quarta-feira, uma nova assembléia avalia o movimento. A categoria reivindica reposição da inflação mais aumento real de 17,68% e PLR de um salário mais R$ 1.200.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.