finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bancários protestam contra privatização da Nossa Caixa

Com bom humor, o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região protestou hoje contra a possível privatização da Nossa Caixa e de outras 17 empresas estatais paulistas. No ato, realizado no centro de São Paulo, um sindicalista imitava o governador José Serra e "doava" partes da Nossa Caixa aos pedestres."O governador estava escondendo o jogo porque sabe que as privatizações são medidas impopulares, mas agora ele revelou suas verdadeiras intenções", disse a diretora do sindicato, Raquel Kacelnikas. Também presentes no ato, os sindicatos ligados a eletricitários, metroviários e funcionários do IPT, além de membros da CUT e da Conlutas, prometem uma nova manifestação no dia 22 de novembro, na Avenida Paulista, para protestar contra a privatização de 18 empresas estatais. As entidades decidiram formar o Movimento em Defesa das Empresas Estatais (MDE).O líder do PT na Assembléia Legislativa, deputado Simão Pedro, disse que o partido vai prosseguir na batalha jurídica para impedir a privatização das empresas. A bancada da legenda teve dois pedidos de liminar acatados pela Justiça - um para impedir a assinatura dos contratos entre o governo e os bancos Fator e Citibank, que fariam a avaliação e a modelagem da eventual venda das empresas. Apesar da liminar, o contrato foi assinado.Hoje, apenas a Cesp (Companhia Energética de São Paulo) está incluída no Programa Estadual de Desestatização (PED) e poderia ter suas ações vendidas imediatamente. As outras 17 empresas - Nossa Caixa, Sabesp, Metrô, CPTM, CDHU, Dersa, Emae, Cosesp, EMTU, Cetesb, Emplasa, CPP, Prodesp, Imesp, CPOS, IPT e Codasp - não poderiam ser privatizadas e precisam passar por aprovação da Assembléia Legislativa.

ANNE WARTH, Agencia Estado

08 de novembro de 2007 | 18h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.