Bancários querem 11,93% de aumento salarial

O setor defende também o fim da terceirização de mão de obra, de metas abusivas e do assédio moral em carta entregue à Federação Nacional de Bancos

Economia & Negócios,

30 de julho de 2013 | 19h21

SÃO PAULO - O Comando Nacional dos Bancários entregou nesta terça-feira, 30, pedido de reajuste salarial de 11,93% à Federação Nacional de Bancos. A reivindicação faz parte da lista aprovada pelo setor na Conferência Nacional dos Bancários realizada há pouco mais de uma semana.

"A campanha nacional deste ano ocorre em uma conjuntura para os bancários por conta dos balanços dos bancos, mostrando que a situação do sistema financeiro é muito sólida", defende Carlos Cordeiro, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, entidade ligada à Central Única dos Trabalhadores.

"Os resultados são invejáveis, com aumento dos lucros e rentabilidade na casa dos 18%, acima dos outros setores da economia e do sistema financeiro internacional", disse ele.

Os bancários posicionam-se ainda contra terceirização de mão de obra, metas abusivas e assédio moral. Eles pedem maiores cuidados com a saúde e a segurança dos trabalhadores. A primeira rodada de negociações deve acontecer no próximo dia 8.

Banco do Brasil (BB) e Caixa Econômica federal também receberam o documento com reivindicações. A reunião com BB está programada para dia 14. A mesa de negociações com a Caixa ainda não está marcada.

Tudo o que sabemos sobre:
bancarios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.