Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Bancários reivindicam reajuste salarial de 16%

Categoria realiza ato na Avenida Paulista por piso salarial de R$ 3.299,66, décimo quarto salário, entre outros benefícios; sindicato pede fim de metas abusivas

Mário Braga, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2015 | 10h23

Bancários realizam na manhã desta quinta-feira, 20, um ato na Avenida Paulista para o lançamento da campanha salarial de 2015, do sindicato da categoria junto à Federação Brasileira de Bancos (Febraban). 

Entre as principais reivindicações estão o reajuste salarial de 16%, que representa um ganho de 5,7% acima da inflação, o piso salarial com base no salário mínimo calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), hoje em R$ 3.299,66, além da Participação nos Lucros e Resultado (PLR) de três salários mais um adicional de R$ 7.246,82. 

Os bancários também pleiteiam décimo quarto salário e o valor de um salário mínimo (R$ 788) em vales refeição e alimentação. "Os bancários reivindicam ainda a manutenção do emprego, melhores condições de trabalho, com o fim das metas abusivas", diz a nota do sindicato dos bancários de São Paulo.

Na quarta-feira, 19, terminou sem acordo a primeira rodada de negociação da campanha. Segundo os sindicalistas, não houve proposta por parte da entidade patronal para a manutenção do emprego no setor. 

Segundo a Febraban, o calendário das rodadas de negociações da campanha salarial terá ainda uma rodada sobre saúde e segurança do trabalho, nos dias 02 e 03 de setembro, outra sobre igualdade e oportunidades, no dia 09 do mês que vem e, por fim, a discussão sobre remuneração, no dia 16. A data base da categoria é dia 1º de setembro. 

Tudo o que sabemos sobre:
Bancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.