Assessoria de imprensa da presidência da Turquia / AP
Assessoria de imprensa da presidência da Turquia / AP

Banco Central da Turquia decide elevar taxa de juros de 17,75% para 24%

Mais cedo, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, reiterou sua posição de que as taxas de juros deveriam ser reduzidas, mas disse que o BC era independente

Gabriel Bueno da Costa, O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2018 | 08h15

O Banco Central turco decidiu elevar taxa de juros de 17,75% para 24% nesta quinta-feira, 13 Segundo a instituição, dados recentes indicam uma tendência mais significativa de mudanças na atividade econômica. "A demanda externa mantém sua força, enquanto a desaceleração na demanda doméstica acelera."

O BC turco diz que os acontecimentos recentes relativos à perspectiva para a inflação apontam para "riscos significativos à estabilidade dos preços". A instituição pontua que as altas de preços têm mostrado um "padrão generalizado", refletindo movimentos no câmbio. "A deterioração no comportamento dos preços continua a representar riscos de alta na perspectiva da inflação, apesar das condições mais fracas na demanda doméstica", avalia o BC turco em seu comunicado. Diante disso, o comitê de política monetária decidiu "implementar um aperto monetário forte para apoiar a estabilidade de preços".

Mais cedo, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, reiterou sua posição sobre a taxas de juros. "Taxas de juros altas prejudicam a economia", afirmou ele em discurso. "Minha sensibilidade em relação às taxas de juros não mudou", disse o líder, embora complementando que o banco central do país é independente.

Erdogan disse que, na opinião dele, as taxas de juros deveriam ser reduzidas no país. O presidente comentou ainda que o equilíbrio orçamentário do país será apoiado por meio de "economias substanciais do gasto público". Ele prometeu também mais medidas para conter a flutuação cambial, após proibir transações em moeda estrangeira em vendas e aluguéis no país.

Governo proíbe vendas e aluguéis realizados em moeda estrangeira

Erdogan emitiu um decreto que proíbe a realização de vendas domésticas e de aluguéis em moeda estrangeira. A medida pode ajudar a impulsionar a lira turca, bastante desvalorizada nos últimos meses. Em nota no Diário Oficial do país, Erdogan também vetou as transações em lira atreladas a moedas estrangeiras.

A ordem diz que as transações realizadas em moeda estrangeira precisam ser convertidas em lira dentro de 30 dias, a taxas que devem ser decididas entre as partes envolvidas. As transações em dólar e euro são comuns na Turquia, especialmente no setor imobiliário comercial, onde as construtoras normalmente cobram aluguéis em moeda estrangeira para pagar dívidas feitas no exterior.

Com a lira em queda de cerca de 40% ante o dólar neste ano, essas transações têm se tornado uma fonte de preocupações para investidores, temerosos de que as perdas na moeda local os impeçam de honrar os crescentes custos dos aluguéis.

/ COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.