Banco Central diz que estabilidade trará inclusão social

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse nesta sexta-feira que é a missão do banco perseguir metas de inflação de longo prazo e propiciar a estabilidade com desenvolvimento social. "Não vemos dicotomia em foco na estabilidade para o crescimento e um trabalho de investimento com foco no social", disse no encerramento do seminário promovido pelo Banco Mundial, no Rio.Segundo ele, a estabilidade aumentará os investimentos e garantirá a inclusão dos pobres na economia. "Num País com economia crescente, a arrecadação vai aumentar e gerar recursos para a justiça social e a maior inclusão da camada de baixa renda", afirmou. O presidente do Banco Central disse que o BC tem um papel fundamental para permitir o acesso dos pobres aos bancos, com ações de crédito, microcrédito e correspondentes bancários, como casas lotéricas.Meirelles afirmou que a expansão e barateamento do crédito dependem de condições que "favoreçam o cumprimento dos contratos e a pronta execução das garantias". Segundo ele, várias medidas estão em estudo ou sendo cumpridas para reduzir os custos e aumentar a oferta de crédito, como a nova lei de falências e a reformulação da central de risco de crédito. Ele afirmou que o País apresenta limites ao acesso financeiro e um exemplo é que até o início deste ano apenas um terço da população possuía contas bancárias e quase 30% dos municípios não tinham agências bancárias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.