Banco Central dos EUA eleva juros anuais para 2,75%

O banco central dos Estados Unidos (Federal Reserve) elevou a taxa anual de juros do país em 0,25 ponto porcentual, para 2,75%. De acordo com comunicado divulgado pela instituição, "os riscos estão equilibrados" e a economia "cresce em ritmo sólido".O Fed destacou ainda a sua previsão de um ritmo comedido para as altas de juros. Contudo, sinalizou que responderá à economia sempre que necessário. Isso significa que, se a economia continuar aquecida em uma medida que ameace o controle da inflação, o Fed agirá elevando as taxas.A instituição admitiu que as expectativas de inflação no longo prazo estão contidas. A decisão de alta dos juros nos Estados Unidos foi tomada de forma unânime pelos membros do Fed.Reação do mercado no BrasilNo Brasil, o dólar comercial se manteve em queda. Na ponta de venda das operações, a moeda norte-americana era vendida a R$ 2,6980, em queda de 1,06% em relação aos últimos negócios de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reduziu parte da alta e opera com valorização de 0,50%.A abertura dos mercados vai depender da avaliação dos investidores. Se eles interpretarem uma sinalização de mais aperto na política monetária nos Estados Unidos, o ambiente melhor desta Terça-feira se dissipará e o mercado brasileiro vai tremer com a idéia de que o fluxo de capitais buscará os títulos norte-americanos e deixará de lado os países emergentes. Ao contrário, se a interpretação for de manutenção do ritmo atual, os juros futuros poderão recuar mais. Porém, de todos os mercados, o de juros é o que deverá melhorar menos, pois continuará cultivando a expectativa pela ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), a ser divulgada na quinta-feira. Isso significa ainda manter uma boa dose de cautela até lá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.