REUTERS/Kai Pfaffenbach
REUTERS/Kai Pfaffenbach

Banco central europeu adia aumento de juros e oferece novos empréstimos a bancos

BCE manteve sua taxa básica de juros, a de refinanciamento, em 0% e a de depósitos, em -0,40%

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2019 | 10h43

O Banco Central Europeu (BCE) manteve suas principais taxas de juros inalteradas após concluir reunião de política monetária nesta quinta-feira, 7, como era amplamente esperado por analistas. O BCE deixou sua taxa básica de juros - a de refinanciamento - em 0% e a de depósitos, em -0,40%.

Em meio à guerra comercial global e incertezas sobre o Brexit, o crescimento do bloco monetário enfraqueceu rapidamente, levantando temores de que possa virar uma contração se os bancos começarem a reduzir a oferta de novos empréstimos.

A autoridade monetária da zona do euro disse que agora pretende manter os juros nos baixos níveis atuais até o fim de 2019, para garantir que a inflação convirja para sua meta, que é de uma taxa ligeiramente inferior a 2%, no médio prazo. Anteriormente, o BCE planejava não ajustar os juros básicos até o fim do verão europeu de 2019.

Além disso, o BCE anunciou que fará uma nova rodada de Operações de Refinanciamento de Prazo Mais Longo Direcionadas (TLTROs, na sigla em inglês), que terá início em setembro deste ano e será concluída em março de 2021. As novas TLTROs terão vencimento de dois anos.

No comunicado da reunião, o BCE reiterou ainda que irá reinvestir integralmente os recursos obtidos com o plano de relaxamento quantitativo (QE, pela sigla em inglês) por um "período prolongado" após sua primeira elevação de juros.

O QE, pelo qual o BCE comprava mensalmente bilhões de euros em bônus de governos e outros ativos, foi encerrado em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.