Ralph Orlowski/Reuters
Ralph Orlowski/Reuters

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Banco Central Europeu lança pacote de estímulos à economia e corta juros

Medidas para estimular o crescimento na zona do euro e impedir a queda da inflação incluem a retomada da compra de ativos

Reuters

12 de setembro de 2019 | 10h38

FRANKFURT - O Banco Central Europeu (BCE) anunciou um novo pacote de estímulo nesta quinta-feira, 12, como esperado pelo mercado, cortando as taxas de juros e aprovando uma nova rodada de compras de títulos para estimular o crescimento da zona do euro e impedir uma queda preocupante nas expectativas de inflação.

O BCE reduziu sua taxa de depósito para um recorde de -0,5%, de -0,4%, e reiniciará as compras de títulos a um ritmo de 20 bilhões de euros por mês a partir de novembro, informou em comunicado.

Também foi anunciada uma facilitação nos termos de seus empréstimos de longo prazo a bancos e a introdução de uma taxa de depósitos diferenciada para ajudar as instituições.

Com a inflação caindo, a Alemanha flertando com uma recessão e a guerra comercial global minando a confiança doméstica, o BCE tinha praticamente prometido mais apoio à economia, e a única dúvida era sobre quão extenso seria o estímulo.

Economistas consultados pela Reuters esperavam um corte de 10 pontos-base na taxa de depósito, uma taxa de depósito específica para apoiar os bancos, compra de títulos em 30 bilhões de euros por mês a partir de outubro e uma nova promessa de manter as taxas de juros baixas por mais tempo.

Ainda nesta quinta, o presidente do BCE, Mario Draghi, vai apresentar novas projeções de crescimento e inflação.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.