Banco Central sugere queda dos juros gradual e por mais tempo

A ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta quinta-feira pelo Banco Central, sugere que o Banco Central prefere uma trajetória mais longa de queda do juro básico, com reduções graduais da Selic, a promover cortes mais fortes na taxa em menos tempo. Para os seis membros do Copom que votaram no corte de 0,75 ponto percentual (três votaram pela queda de 1 ponto percentual), é melhor avaliar o "aumento progressivo dos riscos associados às incertezas que cercam os mecanismos da política monetária", particularmente no que diz respeito "às defasagens do impacto de alterações da taxa Selic sobre a inflação". A ata destaca que esta avaliação é relevante sobretudo levando em conta o quanto a Selic já tinha sido reduzida desde setembro de 2005, quando começaram os cortes (2,5 pontos porcentuais, quando a Selic estava em 17,25%.A ata afirma ainda que o corte de 0,75 ponto porcentual contribuí para aumentar a magnitude do ajuste total a ser executado. "Dada a menor distância entre a taxa básica de juros corrente e as taxas de juros que deverão vigorar em equilíbrio no médio prazo, esses membros (a maioria que votou por uma queda 0,75 pp) entenderam que a melhora no balanço de riscos observada entre as reuniões de janeiro e março justificaria uma nova redução de 0,75 pp na taxa de juros básica", diz a ata.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.