Banco chinês posterga aquisição do Crédit Agricole

A Citic Securities International Company, maior banco de investimentos da China em valor de mercado, informou que teve de postergar a conclusão da planejada aquisição de uma participação do Crédit Agricole, já que o acordo de US$ 374 milhões não recebeu aprovação regulatória. Em junho, o grupo chinês informou que compraria 19,9% das unidades de corretagem do Crédit Agricole na Ásia e na Europa, em um passo para estabelecer uma presença global. O grupo esperava concluir a operação até o final deste ano.

AE, Agencia Estado

17 de dezembro de 2011 | 09h03

No entanto, "como o processo de aprovação em determinadas jurisdições demanda um prazo adicional para ser concluído, estima-se que a conclusão de processos regulatórios relevantes de aprovação se prolongue para o início de 2012", informou a companhia em um comunicado enviado neste sábado à Bolsa de Xangai.

A Citic Securities, uma unidade do conglomerado estatal Citic Group, tem se esforçado há anos para ampliar seus negócios para além das fronteiras da China. A companhia se envolveu em negociações para investir no Bear Stearns antes do colapso da instituição em 2008.

A Citic Securities tem mantido conversas com o Crédit Agricole para formar uma joint venture que preencheria os objetivos dos dois lados: ampliar a presença global da companhia chinesa e dar ao banco francês o acesso para o mercado em acelerada expansão da China continental. Em setembro, a Citic Securities captou US$ 1,7 bilhão por meio de uma oferta pública inicial (IPO, em inglês) para ajudar a financiar suas expansão externa. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
ChinabancosCrédit Agricole

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.