Banco do Brasil apresenta proposta e afasta risco de greve

A Confederação Nacional dos Bancários (CNB), ligada à CUT, informou na noite desta segunda-feira que, depois de um dia inteiro de negociações, o Banco do Brasil apresentou uma proposta semelhante a da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para a renovação da convenção coletiva dos funcionários da instituição. A Executiva Nacional dos Bancários, que havia ameaçado com a realização de greve a partir desta terça-feira, recomendou a aprovação da proposta pelas assembléias da categoria. A proposta prevê um reajuste de 12,6% sobre o piso salarial, gratificação de caixa e valor de referência dos comissionados, mais um abono de R$ 1.500. Ela também inclui reajuste de 6,14% sobre o salário-base, mais duas promoções no Plano de Cargos e Salários, o que permite que se atinja o índice de 12,6% para estas faixas salariais. Ainda está previsto um reajuste de 6% sobre as comissões, o que anteriormente era 0%. Sobre a participação nos lucros, o banco a desvinculou das metas, como queria anteriormente e pagará 40% do salário, mais R$ 325,00 no semestre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.