Reuters
Reuters

coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Banco do Brasil cancela processo licitatório de agências de publicidade

Decisão ocorreu após auditoria identificar 'evidências de conflito de interesses'

Aline Bronzati, Broadcast

13 de maio de 2017 | 00h03

O Banco do Brasil decidiu cancelar o processo licitatório para a contratação de agências de publicidade em um contrato de R$ 500 milhões ao ano. A decisão, conforme nota do BB à imprensa, ocorreu após a realização de auditoria que não conseguiu comprovar vazamento ou favorecimento de um dos participantes, mas identificou "evidências de conflito de interesse".

"Foi revogado, nesta data, o processo licitatório para contratação de agências de propaganda para prestação de serviços de publicidade ao Conglomerado BB. A decisão ocorreu após apurações internas de denúncias veiculadas na imprensa", explica o banco, em nota à imprensa.

A decisão do BB de instaurar um processo de auditoria na licitação para escolha das empresas de publicidade ocorreu após o jornal Folha de S. Paulo afirmar, em reportagem, que tinha conhecimento do resultado da licitação antes da divulgação do nome do vencedor. Segundo o banco, as investigações identificaram evidências de conflito de interesse que não foi declarado previamente à comissão por um dos integrantes indicados por órgão externo para compor a subcomissão técnica. Isso ocorreu, segundo o BB, apesar de todos os integrantes da subcomissão terem assinado declaração de inexistência de conflito de interesse.

"Considerou-se que tais circunstâncias poderiam ensejar recursos administrativos e judiciais, de modo a impedir a finalização do certame, além de manter incerteza sobre a lisura e regularidade do processo com potencial dano à imagem do banco", acrescenta o BB.

O banco informa ainda que, sob orientação da Diretoria Jurídica, por dever de diligência e em atenção ao princípio da moralidade administrativa, o Conselho Diretor decidiu pela revogação do processo licitatório, exercendo a prerrogativa prevista na Súmula 473 do Supremo Tribunal Federal.

De acordo com a nota, o BB divulgará oportunamente novo edital e implementará recomendações da auditoria para aprimoramento do processo para escolha das empresas de publicidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.