coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Banco do Brasil lança fundos de curto prazo

O Banco do Brasil lança nesta quarta-feira, 26, dois fundos compostos basicamente por papéis de curto prazo, cujas taxas tendem a oscilar menos no mercado, com valor mínimo para aplicação de R$ 1.000,00. O objetivo é atrair novos recursos. A taxa de administração é de 3% ao ano e o fundo é só para clientes do banco.Na semana passada, o BB lançou dois fundos de renda fixa CPMF Singular, que devolvem, no ato da aplicação, a quantia paga de Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Somente nos quatro primeiros dias que estes fundos operaram, o Banco conseguiu captar mais de R$ 5 milhões.O banco possui uma página na Internet com informações sobre os novos produtos e orientações para os investidores (ver link abaixo).Marcação a mercado aumentou risco de prazo longoCom a nova marcação a mercado dos fundos de renda fixa, que entrou em vigor no dia 31 de maio, os fundos com prazo maior apresentam maior risco de oscilação negativa, já que o humor dos mercados anda bastante negativo. Esse risco aparece principalmente nos fundos DI, pós-fixados. O que acontecia antes de a nova regra valer é que os fundos DI apresentavam nos rendimentos apenas o valor de face do papel, que paga a Selic, taxa básica de juros da economia brasileira, mais uma porcentagem.Como agora o mercado influencia muito mais a rentabilidade desses fundos (ver matérias abaixo), a tendência é de que, no longo prazo, haja mudanças no cenário e oscilações negativas no fundo. No curto prazo, o investidor pode planejar melhor e até ter uma certeza maior do que pode acontecer no cenário.

Agencia Estado,

24 de junho de 2002 | 18h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.