Banco do Brasil lucra 142% a mais no trimestre da crise

Lucro recorde foi impulsionado pelo desempenho da carteira de crédito, com maior crescimento desde 2000

ANA PAULA RIBEIRO E STELLA FONTES, Agencia Estado

19 de fevereiro de 2009 | 08h22

O Banco do Brasil registrou no quarto trimestre do ano passado um lucro líquido contábil de R$ 2,944 bilhões, o que mostra um crescimento de 142% sobre igual período do ano anterior. Na mesma base de comparação, o lucro líquido recorrente (que exclui os efeitos extraordinários) cresceu 26,1%, chegando a R$ 1,626 bilhão entre outubro e dezembro de 2008.   O lucro líquido contábil do Banco do Brasil no quarto trimestre de 2008, de R$ 2,944 bilhões, é o maior da história para um período de três meses, superando o recorde anterior de R$ 2,347 bilhões registrado no primeiro trimestre do ano passado. O resultado foi possível graças às mudanças no cálculo de ativos e passivos dos fundos de pensão, que geraram um resultado não recorrente de R$ 1,318 bilhão. Além disso, a alta recorde foi impulsionada pelo crescimento da carteira de crédito da instituição.   Veja também: BC aprova Itaú-Unibanco, mas limita tarifas Entenda o novo plano dos EUA para resgatar bancos De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise   A carteira de crédito incluindo carteira externa, interna e prestação de garantias atingiu R$ 237,2 bilhões ao fim do quarto trimestre de 2008, equivalente a uma expansão de 11% em relação ao terceiro trimestre de 2008 e de 41,9% em relação ao fim de 2007. Segundo o Banco do Brasil, é o maior crescimento registrado desde 2000 e a variação da carteira de crédito foi superior à média do sistema financeiro, que foi de 6,5%.   O desempenho da carteira de crédito acima do sistema é explicado pela atuação do BB nos últimos meses do ano, em que entrou com força no mercado de compra de carteiras de crédito de outras instituições financeiras e também atuou para compensar, em parte, a redução da oferta de crédito às empresas brasileiras. O saldo das operações de crédito para pessoas jurídicas no BB cresceu do terceiro para o quarto trimestre 13,9%, ante 7,1% do sistema financeiro. Ao todo, os empréstimos para as empresas totalizavam R$ 97,192 bilhões em dezembro. No acumulado de 2008, o banco público estatal teve lucro contábil de R$ 8,803 bilhões, enquanto o recorrente ficou em R$ 6,685 bilhões. No primeiro caso, o valor representa uma alta de 74% na comparação com 2007, enquanto o resultado recorrente subiu 13,7%. O lucro recorrente do ano passado significa uma rentabilidade de 32,5% sobre o patrimônio líquido médio.Os ativos do banco público federal em dezembro de 2008 totalizavam R$ 521 bilhões, expansão de 42% em 12 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
bancosBanco do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.