finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Banco do Brasil quer entrar no Novo Mercado

O Banco do Brasil está traçando seu caminho para o Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Antes, terá de conseguir os selos níveis 1 e 2 de governança corporativa. Ontem, o conselho de administração do banco se reuniu para dar o pontapé inicial do processo, com a discussão sobre a atualização do estatuto do BB. A proposta precisa ser aprovada por assembléia de acionistas que, segundo o gerente de Relações com Investidores, Marco Geovanne, pode ocorrer em julho.Para entrar no Novo Mercado, uma empresa precisa ter apenas ações ordinárias (ON), que dão direito de voto aos acionistas. Segundo Geovanne, a adoção de medidas como o "tag along" é uma conseqüência do processo. Ao conceder o "tag along", o acionista passa a ter direito de receber o mesmo valor dos controladores em caso de venda da empresa. Entre as medidas que o Banco do Brasil pretende adotar, está a divulgação do balanço de acordo com as normas contábeis americanas, conhecidas por US Gaap. Bovespa: ações da Previ não fazem parte do free foatUma das determinações que o BB precisa seguir para conseguir o selo nível 1 é a manutenção em circulação de uma parcela de pelo menos 25% do total de ações ("free float"). De acordo com Geovanne, a maneira mais fácil de se adequar a esse requisito é por meio da venda de papéis em mãos do Tesouro Nacional, decisão que dependeria do Tesouro.Atualmente, 71,7% do capital total do BB pertence ao Tesouro. A Previ possui 13,7% do capital total e a BNDESPar tem 5,9%. Segundo ele, caso a fatia da Previ seja considerada parte do "free float", o montante de ações do Banco do Brasil em circulação no mercado corresponde a 22,4% do total. Faltaria, portanto, apenas 2,6% de ações circulando para que o banco atendesse à exigência.O executivo reconhece que, na prática, o mercado não considera a Previ um acionista que compõe o "free float" do banco. "Eles vêem essas ações como investimento de longo prazo, como papéis ´presos´", observou. Segundo ele, o primeiro passo é a negociação com a Bovespa sobre a participação da Previ. A Bovespa comunicou, por meio de sua assessoria de imprensa, que, em princípio, as ações do BB detidas pela Previ não podem ser consideradas parte do "free float" do banco. Mas ressalta que essa não é uma questão fechada, e espera contato da instituição financeira para discutir a questão.

Agencia Estado,

28 de junho de 2001 | 09h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.