Banco inglês deixa a Argentina após 140 anos

O banco britânico Lloyds informou ao Ministro de Trabalho da Argentina que venderá todos os ativos e deixará o país depois de 140 anos de atividade. Segundo o assessor do sindicato dos bancários, Eduardo Borrezpe, o banco prometeu que os 640 funcionários serão "tratados de forma justa dentro da lei argentina".Desde a crise financeira de 2002, três grandes bancos estrangeiros decidiram deixar o país. O primeiro foi o Credit Agricole, de capital francês, e em seguida, o canadense Bank of Nova Scotia. Este ano, o italiano Banca Nacionale del Lavoro disse que está em processo para se desfazer de seus ativos na Argentina.O Lloyds possui 34 agências e 1,04 bilhão de pesos em ativos na Argentina, segundo dados de março deste ano do Banco Central argentino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.