Banco investiu R$ 18 bilhões nas empresas 'campeãs'

A estratégia de criar "campeãs nacionais" surgiu há seis anos, como um plano do BNDES para incentivar fusões e aquisições de empresas. Para os defensores da política, é necessário fortalecer algumas companhias para permitir que enfrentem a concorrência num mundo globalizado.

O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2013 | 02h04

Em seis anos, o BNDES investiu R$ 18 bilhões nos grupos eleitos, mas os resultados foram controversos. Os críticos dizem que, ao escolher "campeões", o governo concentra mercado, não atinge o objetivo de internacionalização e tira recursos de setores que precisam de apoio.

Entre as empresas que receberam recursos do BNDES para comprar rivais ou se fundirem com concorrentes estão os frigoríficos JBS e Marfrig, a fabricante de celulose Fibria, a operadora de telefonia Oi, a companhia de produtos lácteos LBR e os grupos de tecnologia Totvs e Linx.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.